PUBLICIDADE

arte & cultura

Familiares e amigos se despedem de Dominguinhos do Estácio

O corpo do cantor, compositor e intérprete de sambas-enredo, Dominguinhos do Estácio, foi enterrado na tarde desta segunda-feira (31), no cemitério do Catumbi, na zona norte do Rio de Janeiro.

Domingos da Costa Ferreira, de 79 anos, morreu no final da noite desse domingo (30) no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, região metropolitana do Rio. Ele estava internado desde o dia 11 de maio, quando teve uma hemorragia cerebral. No dia 20 precisou ser intubado, mas o quadro não evoluiu.

Dominguinhos começou a carreira na Unidos de São Carlos, em 1972. Em 1987, pela Estácio de Sá, antiga São Carlos, encantou a Marquês de Sapucaí com o samba “Que ti ti ti é esse que vem da Sapucaí”.

Pelas redes sociais são muitas as manifestações de artistas do mundo do samba, lamentando a morte do cantor. Emocionado, Neguinho da Beija-Flor, gravou um vídeo agradecendo a amizade entre eles.

Muito emocionada, Lívia Ferreira, uma das filhas de Dominguinhos, também falou que o pai deixará um legado de pessoa muito amorosa e que sempre foi querido por todos, especialmente no meio do samba.

Dominguinhos passou também pela Imperatriz Leopoldinense e foi campeão do carnaval carioca em 1981, com o samba “Só dá Lalá” e em 1989, com “Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós”.

A última escola de Dominguinhos foi a Viradouro. Em 1997 ele venceu o carnaval interpretando o samba-enredo “Trevas! Luz! A Explosão do Universo”. Ao longo da carreira também gravou nove discos.

Dominguinhos deixa cinco filhos.

Foto: Reprodução Instagram