PUBLICIDADE

Rio de Janeiro / Cotidiano

Emoção na despedida à Elza Soares

Após velório realizado no Theatro Municipal e cortejo em carro aberto pelas ruas do Rio, o corpo de Elza Soares foi enterrado em cerimônia restrita aos familiares, na tarde desta sexta-feira (21), no Cemitério de Sulacap, na Zona Oeste do Rio. A cantora morreu, aos 91 anos, em casa, de causas naturais, na tarde do dia 20 de janeiro. Emocionados, parentes e amigos da artista entoaram ‘Mulher do fim do mundo’ enquanto se despediam de Elza.

Enquanto o caixão era levado até o local do enterro, violinistas e ritmistas da Mocidade Independente de Padre Miguel, a escola de samba do coração de Elza, tocaram “Não deixe o samba morrer”.

Homenagens

Na manhã de sexta-feira, fãs fizeram fila no teatro para se despedir. Durante o velório, integrantes da Mocidade deram uma salva de palmas à intérprete.

Um trecho do musical sobre a vida da cantora foi encenado na escada do teatro, ao lado do corpo: “Viva Elza Soares”, gritaram em coro.

O caixão foi fechado por volta das 14h10 , com a neta de Elza se despedindo da avó com um beijo,  e depois colocado na viatura dos bombeiros com uma bandeira da Mocidade Independente de Padre Miguel, escola de coração de Elza

Em decreto publicado na edição desta sexta-feira (21/01) do Diário Oficial do Município, o prefeito Eduardo Paes declarou luto oficial, de três dias, na Cidade do Rio, pelo falecimento da cantora Elza Soares.

Fotos: Reprodução