PUBLICIDADE

música

Orquestra Sinfônica Juvenil Chiquinha Gonzaga em concerto gratuito no Parque Lage


Para celebrar a chegada da primavera e também o Bicentenário da Independência, a Orquestra Sinfônica Juvenil Chiquinha Gonzaga, formada exclusivamente por meninas que estudam na rede pública de ensino do Rio de Janeiro, realiza um concerto especial no próximo dia 18/9, domingo, às 11h, no Parque Lage.

O evento, com entrada franca e aberto a pessoas de todas as idades, tem patrocínio do Santander e Santander Seguros e Previdência. No repertório, clássicos de Mozart, Vivaldi, Chiquinha Gonzaga, Carlos Gomes, Piazzola, entre outros. As meninas-solistas-instrumentistas têm idades entre 9 e 17 anos. Este concerto, intitulado “Primavera da Independência”, terá a participação especial da pianista Maria Tereza Madeira.

A Orquestra Sinfônica Juvenil Chiquinha Gonzaga nasceu em 2021, formada exclusivamente por meninas – alunas da rede pública de ensino do Rio de Janeiro, com o intuito de ampliar a representatividade e a diversidade das instrumentistas femininas. Sob a batuta da regente Priscila Bomfim, o grupo, com 45 integrantes, estreou em junho do ano passado em concerto que teve participação da cantora Elba Ramalho.

De lá pra cá, as integrantes já passaram por palcos como Teatro Imperator, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Casa França-Brasil, entre outros locais, se apresentando cantando e tocando instrumentos como violino, trombone, saxofone, clarineta, oboé, fagote, violoncelo, viola, tuba e percussão.


E qual poderia ser o melhor lugar para antecipar as comemorações da chegada da estação das flores do que o Parque Lage? O antigo engenho de açúcar Del Rey, que durante os tempos coloniais pertenceu à Antonio Salema, então Governador do Rio de Janeiro no século 16, e pouco depois da declaração da independência brasileira foi todo reprojetado para ter essa paisagem valorizada internacionalmente.

O nome desta Orquestra Sinfônica Juvenil é uma homenagem à pianista, compositora e maestrina que, por sua atuação corajosa e de excelência, representou um marco na música brasileira. Primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil, Chiquinha Gonzaga sofreu todo tipo de preconceito, mas transformou a música em um instrumento de liberdade.

Com a OSJ Chiquinha Gonzaga, incentivada pelo Santander, as musicistas e alunas encontram um canal de identificação e oportunidade para alçarem grandes voos na música e fora dela. Chiquinha Gonzaga foi uma mulher à frente do seu tempo. E o grupo simboliza a luta feminina e incentiva a reflexão sobre questões de equidade de gênero. O repertório da orquestra passeia por obras nacionais e internacionais.

“A Orquestra Sinfônica Juvenil Chiquinha Gonzaga nasceu com o objetivo de mostrar a importância da representatividade da mulher em diversas áreas, inclusive da área musical. Reúne meninas e jovens, mas sedentas pelo conhecimento e aprendizado. Vamos mostrar a todos a sua capacidade musical e artística, por isso é um privilégio muito grande trabalhar com esse grupo”, afirma Priscila Bomfim, maestrina convidada da orquestra.

 

REPERTÓRIO – Concerto no Parque Lage

  1.       A Primavera, das Quatro Estações (A. Vivaldi) – violinos solistas e Cordas
    2.     Andante Festivo (Sibelius)
    3.      Vontade e Determinação (Eli-Eri Moura)
    4.      Eine kleine nachtmusik – 1º mov. (Mozart) – sopros da orquestra
    5.      Maria, Maria – Milton Nascimento (Arr.: Mateus Araújo)
    6.      Valsas – Ernesto Nazareth (Solista: Maria Tereza Madeira, piano)
    7.      Abertura O Guarany – Carlos Gomes (Arr. Vinícius Louzada)
    8.      Forrobodó – Chiquinha Gonzaga (Arr. Vinícius Louzada)
    9.      Feira de Mangaio – Sivuca (Arr. Vinvícius Louzada)
    10.   Libertango – A. Piazzolla (BIS)

Fotos: Divulgação OSJCG /Rafael Ribeiro e Marlon Saint