PUBLICIDADE

arte & cultura

Planetário do Rio: uma experiência astronômica

O universo e tudo que o envolve, além de, nos encantar, ele desperta muitas curiosidades, independentemente de faixa etária. E o Planetário do Rio de Janeiro proporciona toda essa experiência rica e de bastante conhecimento sobre a Astronomia. Localizado no bairro da Gávea, zona sul carioca, a instituição tem um papel importante, integrando ciência, educação e cultura de forma inovadora em um ambiente acolhedor na cidade.

Inaugurado em 1970, o Planetário é uma excelente opção de lazer e fonte de saber para cariocas e turistas. O espaço, além de, ser uma maravilha da arquitetura em sua própria construção, tem à disposição dos visitantes objetos originais de astronomia, réplicas, potentes telescópios para observação de planetas, simuladores onde é possível calcular seu peso em outros astros. A fundação oferece ainda exposições e eventos, que retornaram recentemente com todos os protocolos sanitários por conta da pandemia, além de atividades online.

O Planetário possui duas unidades (Gávea e Santa Cruz), três cúpulas, uma delas a maior da América Latina; o Museu do Universo, que abriga diversos experimentos interativos; biblioteca de acesso gratuito e uma área externa para recreação.

O Museu do Universo é composto por três andares, sendo dois deles destinados a exposições temporárias e um (térreo) ocupado pela exposição permanente, que contém Experimentos Interativos e a Nave Escola.

Os Experimentos Interativos são uma forma didática e lúdica de aprender conceitos básicos de Astronomia, como os eclipses e o funcionamento das marés. Também é apresentado um vídeo que explica sobre a história das descobertas astronômicas.

Na Gávea, o Planetário é reconhecido pelas projeções que são realizadas durante as Sessões de Cúpula, que se tornaram referência para o público. As sessões de cúpula consistem em filmes com temática de Astronomia projetados em superfícies esféricas que provocam a sensação de imersão no espectador.

Atualmente, o Planetário da Gávea dispõe de duas cúpulas: a Galileu Galilei e a Carl Sagan. Ambas são equipadas com modernos projetores e oferecem ao público conforto e uma incrível experiência de contato com a Astronomia.

Meteorito Santa Luzia em exposição

Uma novidade que acaba de estrear na Fundação Planetário , no último dia  3 de julho, foi a exposição: Da Gênese ao Apocalipse, que apresenta 38 meteoritos e pode ser vista no Museu do Universo. O conjunto conta com parte da coleção do Museu Nacional/UFRJ, entre eles o meteorito Santa Luzia, o segundo maior já encontrado no país.

A exposição foi aberta por um evento especial: a primeira edição do “Papo com o Extraterrestre”, ciclo de encontros mensais sobre astronomia e meteorítica, que passa a  ser realizado na manhã do primeiro sábado de cada mês. O evento conta com as “Meteoríticas”, time de mulheres cientistas que desenvolve pesquisas e realiza atividades de campo, viajando pelo país caçando esses objetos extraterrestres. Maria Elizabeth Zucolotto, curadora do Museu Nacional e maior autoridade em meteoritos no Brasil, é a líder da equipe, que ainda conta com a química Amanda Tosi e a astrônoma Diana Andrade.

O evento marcou também o reinício das atividades do Planetário e Museu do Universo durante a semana, que passam a abrir de terça a domingo para visitas e sessões de cúpula, com gratuidade para o público em geral todas as terças-feiras. Para mais informações, compra de ingressos, dias e horários de visitação só acessar o site do http://planeta.rio/.

Fotos do Planetário: Reprodução/Planetário do Rio e Samuel Barcelos/Prefeitura do Rio