PUBLICIDADE

economia

O desafio de gerir e alavancar os negócios

Mais de 74% das empresas que fecham no Brasil apresentam problemas e erros na gestão de suas finanças.  Estudos de mercado e pesquisa realizada pelo Sebrae apontam números alarmantes quando o assunto é saúde financeira das empresas brasileiras. Segundo esse estudo, 85% das empresas desconhecem o que é gestão financeira e 60% fecham as portas em um período de cinco anos. “Para se ter uma ideia, em 2016, 74% das empresas que fecharam as portas não acompanhavam suas finanças rigorosamente”, afirma Beatriz Galvão, diretora da Gargo, empresa BPO (Business Process Outsourcing) do Grupo Quality, com sede no Rio de Janeiro.

Em geral as pequenas e médias empresas são as mais atingidas com problemas de gestão.  “Nós queremos ajudar a mudar essa realidade, não só com a prestação de serviço em si, o que já reduz tempo e dinheiro para os empresários, mas também com a geração de conteúdos e informações relevantes para auxiliar empreendedores nessa jornada”, afirma a especialista.

Empreender também requer resiliência, ainda mais em cenários como o que o mundo tem atualmente, com a pandemia do novo coronavírus, que afetou tanto negócios e fez muitas empresas fecharem as portas ou também se reinventarem no mundo inteiro.

“Acredito que o mais importante seja ser antifrágil – o conceito da antifragilidade veio ganhando espaço nos últimos anos e descreve bem o que é ser um empreendedor. Ela traz a ideia de que precisamos ser mais do resilientes, precisamos não resistir/não desistir, como também melhorar com estresse, com os desafios. Isso é essencial para começar um negócio. Além disso, experiência de mercado, principalmente em áreas essenciais para o sucesso do negócio, contam muito”, explica Beatriz Galvão.

A especialista destaca sete erros comuns na gestão financeira das empresas:

  1. Falta de controle e conciliação diária das despesas e dos recebimentos;
  2. Falta de programação das contas recorrentes;
  3. Erros nas análises das notas fiscais, gerando o não pagamento das devidas retenções;
  4. A não execução e controle da previsão orçamentária;
  5. Não utilizar dados financeiros para tomadas de decisão;
  6. Pagar contas em atraso por esquecimento;
  7. Não controlar as inadimplências dos clientes

É fundamental a orientação profissional e especializada para evitar os erros, mas também para investir no que realmente irá gerar bons resultados e longevidade à empresa.

Oito dicas para as empresas otimizarem suas finanças:

Beatriz Galvão : “é importante ser resiliente, não desistir”

  1. Utilizar um sistema financeiro para controlar as despesas e receitas (fluxo de caixa);
  2. Conciliar as contas bancárias diariamente;
  3. Ter especialistas para realizar as análises de retenções nas notas fiscais recebidas;
  4. Realizar a previsão orçamentária e controla-la ao longo do exercício;
  5. Organizar, extrair e utilizar dados financeiros para tomadas de decisão do negócio;
  6. Utilizar dashboards, relatórios e BI (business intelligence) para analisar melhor os dados;
  7. Agendar os pagamentos recorrentes no sistema financeiro para não pagar nada em atraso;
  8. Controlar os recebimentos da empresa e, assim, verificar quais clientes estão inadimplentes.

Fotos: Divulgação e Pixabay