PUBLICIDADE

Rio de Janeiro / Polícia

Ronda Maria da Penha ganha novos patrulheiros

A Guarda Municipal do Rio (GM-Rio) realizou nesta sexta-feira (01/10) a formatura de 36 guardas municipais que vão integrar a Ronda Maria da Penha. Com os novos agentes, o projeto agora passa a contar com 67 guardas para atuação exclusiva na fiscalização do cumprimento de medidas protetivas deferidas pelos juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Capital. Desde o lançamento da Ronda, em março, a GM-Rio já registrou 2.330 acolhimentos, assistiu 386 mulheres e realizou 12 prisões.

A solenidade de formatura aconteceu no auditório da Academia de Ensino da GM-Rio, em São Cristóvão, contando com a presença do comandante da instituição, inspetor geral José Ricardo Soares; da coordenadora da Ronda Maria da Penha, a líder operacional Glória Maria Bastos; além de gestores da GM-Rio e de outros órgãos de governo que participam da rede de proteção à mulher. Entre os presentes estava a juíza Katerine Jatahy, do 6º Juizado de Violência Doméstica e Familiar, que conta com o apoio da GM-Rio, e elogiou a atuação da instituição.

“O acompanhamento das medidas de proteção de forma acolhedora e humanizada é essencial. O apoio da Guarda Municipal foi muito importante para nós, pois estamos em uma área que concentra um número muito grande de processos e que é muito vulnerável, com mulheres que precisam muito do poder público para romper com o ciclo de violência. Somente pelo fato de saberem da existência da Ronda Maria da Penha, essas mulheres já se sentem mais seguras”, destacou a juíza durante o evento.

Ao longo da qualificação, os novos patrulheiros receberam aulas sobre técnicas de abordagem, acolhimento e acompanhamento da vítima; palestras sobre a Lei Maria da Penha e seus aspectos jurídicos; abordagem psicossocial da violência; o direito das mulheres; rotinas e procedimentos legais; serviço de assistência social; entre outros assuntos.

Vale ressaltar que a iniciativa tem o apoio e a parceria do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Ministério Público do Rio de Janeiro, Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, Subsecretaria de Políticas para a Mulher, e a Rede Municipal de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar. As instituições integram a rede de atendimento, proteção e acolhimento das vítimas, visando a plenitude assistencial em todos os âmbitos.

Foto: Divulgação