PUBLICIDADE

cotidiano

Cientista que criou tinta inseticida dará nome à sala na Universidade de Valência

Pilar Mateo. Presidente da Inesfly criou a revolucionária Carbapaint 10, também comercializada no Brasil

O Conselho da Faculdade de Química da Universidade de Valência, na Espanha, decidiu dar o nome de Pilar Mateo Herrero, cientista internacionalmente reconhecida e presidente da Inesfly, a uma nova sala de aula. Mateo fez doutorado na Faculdade de Química da Universidade e é doutora ‘honoris causa’ pela Universidade Anahuac do México.

As pesquisas de Pilar Mateo têm se concentrado no desenvolvimento de produtos de alta tecnologia, como sua exclusiva técnica de microencapsulação polimérica. Com essa tecnologia, a dra Pilar criou a Carbapaint 10, tinta inseticida já é utilizada como uma ferramenta de combate aos insetos transmissores de doenças em mais de 100 países e em várias cidades do Brasil.

Em sua fórmula patenteada, a tinta possui microcápsulas inseticidas de biopolímero que são liberadas de forma lenta e gradual após a aplicação na parede. Os insetos, como o aedes aegypt, pousam na superfície e morrem após o contato com a tinta, que em nosso país é comercializada pela Inesfly Brasil e foi adotada em cidades como Duque de Caxias, no Rio, e Jaboatão dos Guararapes, no Ceará.

Pintura com a tinta Carbapaint10 em escola de Duque de Caxias

Em relação à homenagem, a Universidade de Valencia destacou a “clara vocação social” de Pilar, para quem “a ciência deve estar ao serviço da sociedade”. Além da Inesfly, Pilar Mateo é presidente do MOMIM (Movimento de Mulheres Indígenas do Mundo) e da Fundação Pilar Mateo, que apoia projetos em todo o mundo para a erradicação de doenças e pragas mortais que atacam especialmente as pessoas mais desfavorecidas nos países pobres. Em parceria com a Universidade de Cabo Verde, por exemplo, o projeto Tintaedes levou a tinta inseticida inclusive para a África, onde 300 casas de comunidades foram pintadas com o produto, com excelentes resultados.

Foto: Reprodução