PUBLICIDADE

saúde

Estudo da Fiocruz mostra que vacinação contra Covid-19 pode ter evitado até 55 mil mortes de idosos no Brasil

Foto: Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

Mais de 55 mil idosos podem ter sido salvos pelas vacinas contra a Covid-19 disponíveis no Brasil. É o que revela o estudo feito pelo epidemiologista Marcelo Gomes, do Programa de Computação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Em entrevista ao Ministério da Saúde, o especialista em saúde pública também explicou que milhares de hospitalizações de pessoas de 60 anos ou mais foram evitadas. O número varia entre 96 e 117 mil. A faixa etária é considerada grupo de risco e mais suscetível a agravantes e óbitos pela doença.

“Ao comparar o que poderia ter ocorrido caso as proporções de março tivessem se preservado, na ausência da campanha de vacinação, podemos então ter uma ideia de aproximadamente quantas internações e óbitos foram potencialmente evitados pela campanha”, esclareceu.

Segundo o epidemiologista, o que se observa é que pelos dados do País, a vacinação pode ter poupado cerca de 40 a 55 mil mortes de pessoas com 60 anos ou mais. Para obter os números, o pesquisador fez projeções de óbitos e internações por síndrome respiratória aguda grave decorrente da Covid-19 como se fossem mantidas as proporções de casos de idosos hospitalizados e óbitos por faixa etária registrados entre 13 de março a 12 de junho de 2021. O período corresponde a um dos picos de contaminação pela doença no Brasil.

A vacinação contra a Covid-19 é uma das prioridades do Ministério da Saúde. A pasta já distribuiu mais de 164,4 milhões de doses de vacinas para os estados de forma proporcional e igualitária. Dessas, 130,4 milhões já foram aplicadas na população. Até o momento, 93,6 milhões de brasileiros já tomaram ao menos a primeira dose da vacina Covid-19 e 36,7 milhões completaram o esquema vacinal com duas doses ou dose única.