PUBLICIDADE

Estado / Rio de Janeiro

Turismo: os encantos de Paty do Alferes

Paty do Alferes é uma ótima pedida para um passeio histórico e rural. Situada na  Região Centro-Sul Fluminense, atualmente o município  tem sua atividade econômica na intensa produção agrícola, pecuária leiteira, comércio e turismo. A cidade tem participação marcante no processo histórico brasileiro, tendo exercido grande papel na colonização da região do Vale do Café.

A cidade é conhecida, também, por ser a maior produtora de tomates do estado e terceira maior do Brasil, título que inspira a ‘Festa do Tomate’, um dos maiores eventos do interior do estado.

Museu da Cachaça – Foi inaugurado em 1991 e apresenta um vasto acervo da bebida. Além de garrafas das mais variadas cachaças, o local conta com quadros, coleções de crônicas e artigos, livros especializados, trovas populares, um antigo mini alambique, entre outras atrações. No museu, também estão instaladas uma indústria artesanal de aguardente, duas adegas e um bar para degustação gratuita.

Centro Cultural Maestro José Figueira – No local são realizados diversos eventos como exposições, apresentações teatrais, cursos, exibição de vídeos, entre outros. A biblioteca é formada por um rico e variado acervo com mais de 40 mil títulos, uma sala especializada em literatura brasileira, acesso à Internet com monitoramento e possui, ainda, uma área específica para as crianças. Dentro do complexo, o teatro, com 110 lugares, é um dos principais expoentes do Centro dotado de amplo palco, estrutura de luz, som, cenários e confortáveis camarins.

Caminho do Imperador – Foi a primeira via para pedestres e animais construída no início do século XVIII ligando o Rio de Janeiro a Minas Gerais. O Imperador passava pela região, principalmente no início do ciclo do ouro, quando viajava a Minas. Uma atração à parte no Caminho do Imperador é a gruta do Quilombo de Manoel Congo. Segundo conta a história, no ano de 1838, partiram da Fazenda da Freguesia, hoje Arcozelo, em Paty do Alferes, 300 escravos liderados pelo africano Manoel Congo, em direção à serra de Santa Catarina, onde fundaram um quilombo. Trechos da estrada foram tombados pelo Inepac em 1984.

Centro Cultural Aldeia de Arcozelo – A origem da Aldeia de Arcozelo remonta ao apogeu do ciclo do café. Era a antiga Fazenda da Freguesia, uma das propriedades do Capitão-Mor Manoel Francisco Xavier, que durante muitos anos foi dos grandes produtores de Paty do Alferes e palco da mais importante fuga de escravos da região, liderada por Manoel Congo. 

Festa do Tomate – O evento  é uma das grandesatrações de Paty do Alferes e acontece no mês de junho. Após dois anos suspensa por causa da pandemia da Covid-19, a edição de 2022 já está garantida e promete ser grandiosa.  O sertanejo Gustavo Lima já esta confirmado e canta no evento, em 12 de junho. O prefeito de Paty, Juninho Bernardes, anunciou “a maior Festa do Tomate de todos os tempos”.

A tradição começou em 1979,  quando a Secretaria de Agricultura e Agropecuária do Rio de Janeiro (Emater) e a Central de Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro (Ceasa-RJ) promoveram uma semana técnica de aprimoramento e entretenimento para os produtores rurais da cidade, que está entre as três maiores fornecedoras de tomate do estado. O encontro deu tão certo que o fruto virou festa. Atualmente, o evento atrai nada menos que 40 mil pessoas diariamente, todas em busca das delícias doces e salgadas do tomate. Além das iguarias, a festa é animada por atrações musicais e os concursos Rainha da Festa, Culinária do Tomate, Qualidade do Tomate e o Concurso Leiteiro.

Fotos: Reprodução